filhos, favoritismo, preferido, menina, mimado

Você tem um filho predileto?

Facebook

Todos temos nossas preferências em relação a pessoas. Somos humanos e somos atraídos para algumas pessoas mais do que outras. Isso não é algo horrível; é normal.

Entre pais e filhos acontece com frequência de termos nosso “preferidos”, apesar de muitos pais negarem. Frequentemente, favorecemos um irmão sobre o outro sem perceber.

Tem famílias em que o pai ou a mãe demonstram visivelmente dar preferência a um filho do que do a outro.

Eu sei, acontecia comigo e eu nem percebia. Só quando ouvi comentários que meus filhos faziam, começar a prestar atenção. Agora sei que podem existe vários motivos para esse Favoritismo.

Você pode simplesmente ter mais afinidade com um filho por ser mais parecido com sua personalidade, ter os seus gostos. Ou talvez seja mais carinhoso e obediente.

Outras vezes acontece por que:

  • mom-hugging-sensitive-little-girlÉ muito talentoso, inteligente. Destaca-se dos outros,
  • É um menino, o primogênito,
  • “Ele sempre quis uma menininha”,
  • “Se parece muito com o avô,
  • Você teve complicações na gravidez ou parto,
  • “É a única menininha.”,

E muitos outros motivos…

Muitas vezes o que percebo é que uma criança tem uma personalidade mais forte. É mais difícil de lidar do que as outras.

Por isso os pais acabam sempre fazendo a vontade da criança “mais difícil”, pedindo para a “mais fácil” ceder.  O que faz parecer que gostam mais de um do que do outro.

A criança com a personalidade difícil (por exemplo) insiste, força a barra quando quer algo e você…

criança nervosa, mimada, gritar, comportamento, favoritismo

  • Está muito cansado e não quer discutir,
  • Não quer que ele faça um escândalo (em público ou privado),
  • Não quer se dar o trabalho de ficar firme na sua palavra

E muitas outras situações…

 

MAS, AFINAL QUAL O PROBLEMA EM DEMONSTRAR FAVORITISMO?

“As crianças têm um enorme senso de justiça e elas tem consciência quando as coisas são injustas”, –Karl Pillemer, sociólogo da Universidade de Cornell que estudou o favoritismo extensivamente.

Sou a segunda de uma família de 8 irmãos. Desde os meus 10 anos me comparava e competia com meu irmão mais velho, que era tudo para os meus pais (pelo menos era o que demonstravam).

Houve uma época em que meu filho O do Meio meio estava tendo muita dificuldade na escola enquanto O Primogênito brilhava. E eu me pegava dando preferência em muitas coisas para O Primogênito por causa disso. E nisso O do Meio se comparava, ficava ressentido e a autoestima dele estava cada dia mais baixa. Até eu perceber.

Apesar de nós, pais, tentarmos ser justos, as crianças percebem a maneira como são tratadas. Percebem TUDO. Por mais sutil que seja o nosso Favoritismo.

Por experiência própria, vejo que o Favoritismo naturalmente provoca:

PARA O FILHO “NÃO FAVORITO”:

  • ressentimento,
  • competitividade entre irmãos
  • problemas de autoestima que levam para toda a vida.

A criança desfavorecida sofre mesmo muito tempo depois que tenha saído de casa, seja através de depressão, baixa autoestima ou uma necessidade crônica de se sentir especial.

Mas há evidências de que a criança mais favorecida também terá problemas.

Sendo uma criança de “ouro” ela pode se decepcionar grandemente quando ficar mais velha e não conseguir superar as expectativas fora de casa.

PARA O FILHO “FAVORITO”,

Há evidências de que a criança mais favorecida terá problemas.

Sendo uma criança de “ouro“ ela pode se decepcionar grandemente quando ficar mais velha e não conseguir superar as expectativas fora de casa.

Ele pode vir a ter problemas de:

  • raiva, agressividade
  • frustração,
  • autoritarismo quando não consegue o que quer.

(Porque fora de casa, ela não é a favorita).

É claro, nem tudo de ser a criança favorecida é negativo. Há vantagens – incluindo uma autoestima inabalável.

O filho favorito tem uma autoestima incrível. O que faz com que ela realize grandes coisas tanto agora quanto na vida adulta.

autoestima, mimado, gritar, comportamento, favoritismo

Meu caçula (que já foi meu favorito por ser o caçula) costumava dizer sobre as mulheres: “Todas as mulheres do mundo me adoram!”, “Todas são minhas namoradas”. E sobre pessoas alheias: “Todos são meus amigos.” Kkk

Cada um dos meus filhos já foi meu favorito em diferentes épocas da nossa vida. Hoje eu aprendi a apreciar cada um pelas suas características únicas.

É importantíssimo fortalecer a autoestima dos nossos filhos, mas não precisa ser a custo da diminuição da autoestima dos outros filhos.

EM SUMA

É importante minimizar manifestação de qualquer favoritismo. Uma maneira de fazer isso é reconhecendo a individualidade de cada criança. Cada um com seus talentos, personalidade, gostos, desejos…

“Tratar crianças diferentemente é normal”, dizem os especialistas, “desde que o tratamento seja justo”.

É incrível quando podemos apreciar a singularidade de que cada um é.

 

Related Post

Facebook

Comments